Newsletter

Assine abaixo para receber as últimas novidades do blog no seu e-mail!


14 de setembro de 2018

Conheça o Instituto Ricardo Brennand, o melhor museu do Brasil

Instituto abriga Pinacoteca, jardins exuberantes e uma das maiores coleções de armas do mundo no Museu de Armas Castelo São João

O Instituto Ricardo Brennand, localizado no bairro da Várzea, foi fundado em 2002 e reúne grande acervo de coleções históricas e culturais de diversas partes do mundo. O complexo conta com dois grandes centros dessas coleções: A Pinacoteca e o Museu de Armas Castelo São João. O instituto nasceu da paixão de Ricardo Brenand, seu fundador, por coleções de obras-de-arte provenientes de diversas partes do mundo. Atualmente, o IRB detém o título de “Melhor Museu do Brasil” conferido pela Traveler’s Choice Award. Da sua criação até agora, o instituto já recebeu mais de 2,6 milhões de visitantes. Este ano o complexo completa 16 anos e conhecê-lo é um programa obrigatório para quem visita Recife.

Pinacoteca – Instituto Ricardo Brennand

Instituto Ricardo Brennand – melhor museu do país

A extensa área verde de 30 mil metros quadrados na zona norte do Recife revela respeitável conjunto de construções em estilo gótico-Tudor formado pela Pinacoteca, Museu de Armas Castelo São João, Biblioteca, Parque de Esculturas, jardins exuberantes e a Capela Nossa Senhora das Graças.

Instituto tem jardins com esculturas (duas delas assinadas por Auguste Rodin e Fernando Botero)

A Pinacoteca contêm recortes de várias coleções que Ricardo Brennand obteve ao longo da vida, organizadas por aspectos e relevâncias em comum. Na entrada, fica evidente o apreço do fundador por obras-de-arte sacras, cuja família sempre teve forte ligação com o catolicismo. Ao longo dos anos, Brennand foi adicionando obras dos mais variados tipos, como esculturas, quadros, tapetes, ornamentos, livros históricos e até sarcófagos.

Pinacoteca – interior

A Pinacoteca tem extensa coleção de obras-de-arte sacras dos séculos XVI ao XX

Que foram adicionadas à coleção de Brennand ao longo de décadas

Coleção de obras sacras

O acervo da Pinacoteca revela muitas obras raras resgatadas de colecionadores de diversos lugares, como Europa, Peru, entre outros. Destaque para a bibliografia do período holandês no Brasil, onde é possível encontrar a exposição de documentos originais do século XVII, livros raros, mapas, moedas, utensílios domésticos, esculturas e uma coleção de dezoito quadros produzidos pelo pintor holandês Frans Post (1612-1680), que esteve em Pernambuco a serviço do Conde João Maurício de Nassau entre 1637 e 1644.

Coleção de quadros produzidos pelo pintor holandês Frans Post

No que se refere à temática da invasão Holandesa em Pernambuco, surpreende as imensas tapeçarias holandesas que ilustram o Brasil segundo a perspectiva dos holandeses. Ainda sobre o período do Conde João Maurício de Nassau, há valiosa coleção de pinturas de Franz Post, o qual foi o especialista contratado (por Nassau) para ilustrar pela primeira vez as paisagens brasileiras com pinturas a óleo.

Frans Post e o Brasil Holandês por Brennand

A coleção de quadros de Franz Post juntamente com a espada de ouro encrustada de diamantes localizada no Museu de Armas Castelo São João são as peças que possuem segurança reforçada no Instituto. Segundo nosso guia, elas são o xodó de Ricardo Brennand, por isso recebem atenção especial.

As espadas de ouro cravejadas de diamantes são originárias do rei Faruk, do Egito. São dois conjuntos de bainha e espada.

As moedas quadradas holandesas são valorizadíssimas na visão dos colecionadores, tanto pelo valor material (ouro e prata) como também pelo valor histórico. Elas foram as primeiras moedas impressas no Brasil.

Coleção de moedas raras holandesas

A impressionante escultura Mulher na Rede chama a atenção no centro do salão de exposições rotativas da Pinacoteca. Trabalhada em mármore, conta com uma curvatura que facilmente cederia, caso ela não fosse sustentada por um detalhe – o “braço caído”.

Na Pinacoteca, surgem impressionantes esculturas, como a Mulher na Rede

No exuberante jardim de 18 metros mil metros quadrados está a única réplica da estátua de David de Michelângelo exposta na América do Sul. Além desta, foram feitas mais cinco réplicas pelo estatuário Cervietti Franco & Cia, de Pietrasanta, na Toscana (Itália), a mesma pedreira que Michelangelo usou para conceber suas obras-primas. A escultura – que pertencia a um café em Curitiba – foi arrematada por Brennand, substituindo a escultura de “O Pensador” na entrada do instituto.

Estátua de David de Michelângelo

No “Castelo de Armas” oficialmente chamado Museu de Armas Castelo São João está  a maior coleção de armas brancas da América Latina. O prédio foi construído em 1998 e abriga mais de três mil peças provenientes da França, Holanda e outros países da Europa, bem como do Brasil.

Entrada do Museu de Armas Castelo São João

O castelo abriga uma das maiores coleções de armas brancas do mundo

A construção – inspirada nos monumentos medievais – possui um impressivo conjunto de armaduras do século 16, nas mesmas proporções das armaduras feitas para combate. O retábulo e o vitral são originários de uma capela do século XIX. Quando o sol incide sobre o castelo, os raios de luz invadem o majestoso salão, refletem nas armaduras e criam um visual arrebatador.

Conjunto de armaduras do século 16

O retábulo e os vitrais são originários de uma capela do século XIX.

Entre adagas, facas, espadas e lâminas com armas de fogo acopladas, merece destaque a magnífica coleção de canivetes. Foi a primeira coleção de Brennand. Até mesmo armas para caçar vampiros originárias da Áustria estão no sua extenso acervo. O sarcófago do século II originário de Roma é a peça mais antiga existente no museu.

São mais de três mil peças no Castelo São João

Outro lugar que merece ser visitado no IRB é a Capela Nossa Senhora das Graças. Foi construída em homenagem à Graça Brennand, esposa do colecionador, e tem estilo gótico e altar originário do barroco espanhol do século XVII.

Capela Nossa Senhora das Graças

Estilo gótico e estrutura projetada pelo escritório de Augusto Reinaldo

No altar principal está suspensa uma imagem central que representa a figura de Jesus Cristo, assinada por Elias Sultanum, em tamanho natural

Saiba mais
Aberto de terça a domingo: 13 às 17 h
Alameda Antônio Brennand, s/n – Várzea – Recife/PE – Brasil
Última entrada às 16h30 | Os espaços expositivos fecham pontualmente às 17h30.
Observações: na última terça-feira de cada mês, o acesso é gratuito para todos (exceto nos meses de janeiro, julho e dezembro)
Site oficial: institutoricardobrennand.org.br
Texto e fotos: Paulo Guilherme 



Comente pelo Facebook

Ou comente por aqui:

Confira aqui as postagens mais lidas!

Viagem Sem Bagagem • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPress Desenvolvido por