Newsletter

Assine abaixo para receber as últimas novidades do blog no seu e-mail!


13 de junho de 2018

5 hotéis incríveis para se hospedar na Suíça

A Suíça possui paisagens arrebatadoras e também alguns dos hotéis mais impactantes do planeta. Conheça 5 propriedades onde o Viagem Sem Bagagem se hospedou.

Reconhecida por abrigar em seu pequeno território as melhores escolas de hotelaria do mundo, a Suíça também ostenta alguns dos mais incríveis hotéis. Todos reconhecidos por oferecer serviços impecáveis em propriedades que encantam, seja pela arquitetura, gastronomia bem elaborada, arte e sobretudo o estilo e design inovadores. De Lugano, com sua atmosfera italiana, a cosmopolita Zurique, confira como foi minha hospedagem em cinco magníficos hotéis, que por si só já valem a viagem ao destino.

1 – HUUS Hotel, em Gstaad

Fincado nas montanhas e com vistas espetaculares para os Alpes Berneses, HUUS Hotel foi minha opção de hospedagem durante três dias em Gstaad. A pequena cidade é um dos paraísos alpinos mais exclusivos da Suíça. Está localizada a 220 km de Zurique e durante o inverno abriga uma das mais sedutoras e requisitadas estações de esqui do mundo.

O HUUS impressiona desde a chegada. Seu interior traz décor espetacular assinado pelo renomado arquiteto, hotelier e designer norueguês Erik Nissen Johansen, do escritório Stylt Trampoli. A luxuosa propriedade faz parte do seleto grupo da Design Hotels e combina atmosfera alpina com décor requintado, design inovador, acomodações luxuosas, SPA completo, excelente gastronomia e  vistas panorâmicas de tirar o fôlego para sossegada região de Saanen.

A propriedade está situada a 1.111 metros acima do nível do mar, sendo totalmente integrada à natureza, com vistas espetaculares para os vales, colinas verdejantes e as majestosas montanhas com picos cobertos de neve que circundam a vila de Gstaad. Embora não esteja no centro da cidade, apenas cinco minutos o separa – de carro ou transporte público – da charmosa vila. A propriedade também está próxima de três estações de trem (Gstaad, Saanen e Schönried). E mesmo com a excelente oferta de transporte coletivo, a atenciosa equipe do hotel conduz os hóspedes gratuitamente numa exclusiva Range Rover.

2 – Hotel International Au Lac, em Lugano

Estive hospedado durante dois dias no Hotel International Au Lac, um hotel histórico, cuja arquitetura Art-Nouveau evoca a Belle-Époque e se confunde com a história da região de Lugano, a maior e mais populosa cidade do pequeno Cantão de Ticino, no lado italiano da Suíça. A propriedade é tombada pela UNESCO e tem vistas estonteantes para o Monte Brè e o Lago de Lugano. A centenária propriedade, cuja abertura foi em 1906, está na quarta geração de uma família de hoteliers.

O Hotel está situado no coração da cidade de Lugano, ao lado da igreja Santa Maria Degli Angeli e bem no início da Via Nassa, a principal rua de compras, repleta de lojas de luxo, cafés e restaurantes descolados. O interior abriga décor clássico ao estilo da Belle Époque, conservando, através de inúmeros objetos, a história da propriedade, cujo centenário foi celebrado em 2006. No primeiro andar, um pequeno museu exibe diferentes estágios e aspectos da hotelaria através dos mais de cem anos do hotel. Hospedar-se nele provoca, certamente, uma verdadeira viagem no tempo.

3 – 25hours Hotel Langstrasse, em Zurique

Minha hospedagem em Zurique, maior cidade Suíça e um dos mais importantes centros financeiros do mundo, revelou-se surpreendente no 25hours Hotel Langstrasse, uma das mais novas propriedades da renomada marca alemã 25hours, reconhecida por conceber hotéis temáticos ousados e irreverentes na Europa.

A propriedade une luxo despojado, conforto, atmosfera jovial e muito design, no epicentro do ultramoderno distrito chamado de Europallee. Uma área com clima descolado e hipster, recentemente renovada, no lado oeste de Zurique, entre a imensa estação central de trens e a legendária e multicultural Langstrasse. O projeto arquitetônico, em forma de cubo, traz assinatura do escritório alemão Studio Aisslinger e quartos  onde o grande destaque é o banheiro, na forma de um cubo de vidro.

O interior – que em tudo evoca o estilo industrial – abriga, além do Cinchona Bar, onde bebi refrescantes Highballs, o restaurante gastronômico Neni, com deliciosa cozinha do Oriente Médio assinada pela famosa chef Haya Molcho. No café-da-manhã você poderá provar pratos de inspiração israelense, como o Labane Tahina, Humus Mashawsha e o. Shakshuka, com ovos moles, molho de tomate e pimentão.

 4 – Hôtel de Gruyères, em La Gruyère

Na entrada do vilarejo medieval de Gruyères, o Hôtel de Gruyères evoca a vida rural da Suíça com vista deslumbrante para as montanhas e o castelo do século XIII. É nesse cenário idílico, exatamente na entrada da cidade medieval, que está localizado o Hôtel de Gruyères. Um romântico e bucólico casarão da década de 50 com atmosfera rural e janelinhas verdes com vista para o vale circundado por montanhas.

A localização é super privilegiada, à beira dos Pré-Alpes de Fribourg, numa ruazinha sem saída, a Ruelle des Chevaliers, que em português seria o “Beco dos Cavaleiros”. A ruela culmina no hotel, sendo separada do único estacionamento da vila por apenas um quarteirão. Sim, carros são proibidos na cidadezinha medieval, o que deixa a atmosfera ainda mais bucólica e, convenhamos, romântica.

O café-da-manhã é um dos pontos altos do Hôtel de Gruyères. É servido no restaurante de atmosfera alpina, mesinhas de madeira e carpete vermelho. Do lado de fora há um terraço com a vista estupenda do castelo e das montanhas. Embora a temperatura estivesse fria em pleno mês de setembro, escolhi a varanda para degustar todas as especialidades suíças, dentre elas o famoso Queijo de Gruyères (de sabor único), a Mostarda de Bénichon e o consistente Crème Double, só encontrado na Suíça e feito com a nata do leite a 45% de gordura.

5 – Hotel Restaurant Anker, em Lucerna

O hotel boutique Anker foi minha opção de hospedagem em Lucerna, antes de partirmos para as montanhas de Engelberg-Tilis. Fincado bem no encontro de quatro avenidas, o hotel é perfeito para explorar a pé (e sem pressa) os principais pontos turísticos de Lucerna, como a icônica Ponte da Capela (Kapellbrücke), a Igreja dos Jesuítas, o Museu Natural e o Museu de Richard Wagner. Outra imperdível atração turística – o centro de artes e eventos KKL Lucern – com museus, cafés e salas de concerto está pertíssimo (700 metros), ao final da mesma avenida do hotel, a Pilatusstrasse.

O décor do hotel é lindo, criativo, ousado e visualmente impactante. O lobby da entrada e a recepção possuem pé-direito altíssimo e teto aparente em estilo industrial (tubulações expostas). O restaurante e o bar, bem ao lado, são aconchegantes e confortabilíssimos (sim, são frequentados diariamente pelos locais), seguindo a mesma concepção visual, com luminárias expressivas e móveis em cores dramáticas. O café-da-manhã (incluído na diária) é servido das 6:30 h às 10 h no Restaurante Anker – Grill Bar & Lounge. Segue o alto padrão da hotelaria suíça, contando com farto buffet, produtos de alta qualidade, comida saudável e impecável seleção de queijos suíços.

Agradecimentos ao Hotel HUUS Gstaad, Hotel International Au Lac, 25hours Hotel Langstrasse, Hôtel de Gruyères e ao Hotel Restaurant Anker. Texto e fotos do autor.



Comente pelo Facebook

Ou comente por aqui:

Confira aqui as postagens mais lidas!

Viagem Sem Bagagem • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPress Desenvolvido por

Siga o instagram ×
Visitar @viagemsembagagem