Engelberg: vilarejo dos sonhos aos pés do Monte Titlis – Suíça

Por Veron Campos - 24/01/2018

Com um mosteiro beneditino da Idade Média e panorama de montanhas de conto de fadas, a pequena Engelberg envolve com natureza exuberante. A cidadezinha foi nosso ponto de partida para o incrível Monte Titlis.

A beleza do panorama de montanhas com impressivos cumes rochosos pontiagudos cobertos de neve impressiona quem chega a bucólica Engelberg. Fincado num vale circundado pelos Alpes, o vilarejo com cerca de 4 mil habitantes está apenas 43 minutos de trem a partir da estação central de Lucerna, sendo a porta de entrada para o Monte Titlis. Seu nome Engelberg, cujo significado em alemão é “a montanha dos anjos” remonta à história da fundação de seu Monastério Beneditino, principal ícone arquitetônico da cidadezinha, datado de 1120, mas reconstruído entre os anos de 1735 e 1740.

Engelberg, a porta de entrada para o Monte Titlis, e seu Monastério Beneditino do século XII.

Sossegada e com paisagens de arrancar suspiros, meu passeio por Engelberg se iniciou com uma rápida refeição no terraço do restaurante da Coop (uma das principais redes de supermercados da Suíça), localizado em frente ao centro de informações turísticas na Klosterstrasse – a principal rua do vilarejo. Do alto da sacada do Coop é possível avistar a praça do centrinho, um chafariz e belas casas em estilo arquitetônico alpino, que se espalham por entre a vegetação exuberante no alto das colinas.

Em menos de dez minutos de caminhada pelo sossegado centrinho já é possível alcançar o pequeno cemitério e sua pequena capela, ao lado do grande e secular Monastério. As lápides trazem lindas pinturas em motivos clericais e esculturas de santos, que – suponho – devem ser dos monges Beneditinos.

No roteiro em meio ao visual único das montanhas, vale à pena a visita ao coração do Mosteiro de Engelberg: a sua igreja em estilo barroco. Além de abrigar o maior órgão de tubos da Suíça, o altar da igreja é uma das obras-primas do pintor alemão Franz Joseph Spieglerespecializado em afrescos barrocos.

A última parada em Engelberg foi na fábrica de queijos do Monastério, onde é possível acompanhar todos os dias o processo de criação do queijo feito por quinze fazendeiros locais. Das montanhas eles trazem o leite fresco das vacas, cuja quantidade de gordura e proteína são regularmente medidas. Além da queijaria, a fábrica conta com cafeteria e especialidades locais. Visitar Engelberg é uma delícia.

Distâncias até Engelberg-Titlis

De Zurique: do aeroporto de Zurique pegue o trem em direção a Lucerna. Em Lucerna troque para o trem Zentralbahn (plataforma 13), direção a Engelberg. Tempo total da viagem partindo estação central de trem de Zurique: 1 h 49 minutos

De Lucerna: pegue o trem Zentralbahn (plataforma 13). Tempo total da viagem: 43 minutos 

+ Onde se hospedar em Lucerna: hotel boutique Anker 

+ O que fazer em Lucerna – Suíça

+ O que fazer no Monte Titlis 

+ Nossa hospedagem de tirar o fôlego no Hotel Trübsee – Titlis 

Sobre a viagem a Engelberg-Titlis
O jornalista viajou a Lucerna e a Engelberg-Titlis a convite do Luzern Tourismus AG, o órgão de turismo oficial do destino, com o apoio do Hotel Anker e do Hotel Trübsee. Do Brasil, o autor viajou até Frankfurt, com a Condor Airlines, e conexão para Genebra com a Lufthansa. 
Site oficial do destino: www.engelberg.ch

Posts relacionados

Clima de Natal invade Lucerna na Suíça

Lucerna e Grand Hotel National promovem jantar em São Paulo

Conheça as atrações de TITLIS, na Suíça Central, que tem neve até maio

Comente pelo Facebook