Newsletter

Assine abaixo para receber as últimas novidades do blog no seu e-mail!


26 de dezembro de 2017

O QUE FAZER EM GRUYÈRES, O ENCANTADOR VILAREJO MEDIEVAL À BEIRA DOS PRÉ-ALPES

Do magnífico castelo do século XIII ao provocador museu do criador do Alien (HR Giger Museum), Gruyères vai além do seu famoso queijo, com atrações que valem muito a pena conhecer.

A nossa passagem pela cidadezinha de Gruyères fez parte do nosso projeto pelas principais regiões da Suíça. A viagem começou no dia oito de setembro a partir de Genebra, a pequena metrópole e capital mundial da paz. Chegamos primeiramente na Alemanha no voo da Condor Airlines, na rota Recife – Frankfurt, e de lá pegamos uma conexão com a Lufthansa até Genebra. Passamos por Vevey, Montreux, Zermatt, Friburgo e, finalmente, chegamos na bucólica região de Gruyères. Abaixo, o roteiro que fizemos pelas principais atrações, sugerido pelo La Gruyère Tourisme – órgão oficial do destino.

O Castelo de Gruyères e a torre da Igreja de São Theodule avistadas do terraço do Hôtel de Gruyères

GRUYÈRES PARA ENTENDER E SE LOCALIZAR

Apenas 53 minutos separam a estação central de Friburgo da estação de trem de Gruyères, a Gruyères Gare, situada de frente para pracinha, que também abriga uma das atrações mais visitadas do vilarejo, a Maison de Gruyère (uma espécie de centro que demonstra como é fabricado o famoso queijo da região).

O vilarejo medieval de Gruyère no distrito de La Gruyères

Gruyères é a pitoresca cidadezinha medieval e o mais importante destino do Cantão de Friburgo (ou Fribourg). Com cerca de 100 habitantes, está localizada no alto da colina e possui apenas uma rua. Já o Distrito de La Gruyères é formado por dezenas de vilarejos, tem 28,4 km², está aos pés dos Pré-Alpes e também inclui as aldeias de Pringy, Epagny e Moléson-sur-Gruyères.

Gruyères, ville, Gruyères, Suíça

O QUE FAZER EM GRUYÈRES – SUÍÇA

De acordo com a lenda, Gruyères foi fundada em 400 A.C. pelo Rei dos Vândalos, Gruérius. Bucólica, tem como centro do vilarejo um largo calçadão de pedra ladeado por residências, cafés, restaurantes e lojinhas. Curiosamente, muitas fachadas possuem uma espécie de brasão que traz a ave símbolo da região, o Grou (Grue). Para chegar até o vilarejo, a partir da Praça da Estação, bastou seguir as placas indicativas (sim, elas são muitas e estão por todos os lugares) e em apenas 10 minutos de caminhada já estávamos no Hôtel de Gruyères, na entrada da encantadora cidade medieval.

1 – O CASTELO DE GRUYÈRES

O Castelo de Gruyères é a principal atração da pequena cidade medieval. Visitá-lo é viajar por oito séculos de arquitetura, arte e cultura. A imponente construção está no alto da colina desde o século XIII e em 1938 foi comprado pelo Governo de Friburgo. Hoje funciona como museu e abriga uma preciosa coleção de objetos que datam da Idade Média. Durante a visita ao interior do castelo, são disponibilizados áudio-guias em 12 idiomas, inclusive em português (de Portugal).

⇒ Tickets: adultos (12,00 francos-suíços)

⇒ Site: www.la-gruyere.ch/en/P4544/gruyeres-castle

2 – O VILAREJO MEDIEVAL

A vila medieval é facilmente acessível a pé desde a estação de trem de Gruyères. Para quem vem de automóvel, há um estacionamento a poucos passos da entrada do vilarejo. Após subir a colina, chama a atenção o belo casario com telhados inclinados e chaminés. Logo na entrada da única rua, pare no Escritório de Turismo de La Gruyère. Vale a pena entrar e pegar as brochuras e guias da região! Prossiga pela rua. Há várias opções gastronômicas típicas da região, como a Chocolaterie de Gruyères, o Restaurante do Hôtel La Fleur de Lys, o Restaurant Le Chalet e o incrível HR Giger Bar, do criador do filme “Alien, o Oitavo Passageiro”.

3 – HR GIGER MUSEUM: O MUSEU DO ALIEN 

O Museu HR Giger abriga as obras provocadoras e inconfundíveis do criador e vencedor do Oscar em 1980 por “Alien, o Oitavo Passageiro”. Dentro do museu – um casarão com atmosfera sombria a poucos metros do castelo – é possível ver toda a obra do genial artista, que mistura surrealismo com ficção científica. Há muitos desenhos, esculturas, pinturas e, claro, muitos alienígenas. Numa salão vermelho, acessível apenas para maiores de 18 anos, há obras com forte apelo erótico. Aproveite e conheça o HR Giger Bar, que traz décor surrealista e o teto como se fosse um grande ser mutante. ⇒ Entrada: 12,50 francos-suíços

4 – O MUSEU DO TIBET (FUNDAÇÃO ALAIN BORDIER) 

Inaugurado em 2009, o Museu do Tibet está bem ao lado do HR Giger Museum e abriga mais de trezentas esculturas budistas, pinturas e muitas obras provenientes de diferentes regiões do Himalaia em plena Gruyères. Além da impressionante arte budista, o museu tem no seu  interior a Capela de São José com lindos e coloridos vitrais.

⇒ Entrada: 10,00 francos-suíços (adultos)

5 – O MONTE MOLÉSON

Pegamos o ônibus na Vila de Gruyères e em aproximadamente 15 minutos estávamos na estação do funicular, a 1.111 metros de altitude, que faz a primeira parte do trajeto até o Monte Moléson. O teleférico, situado a 1.523 metros, faz a segunda etapa da subida até o topo da montanha com seus 2.002 metros. Com o tempo muito nublado não foi possível avistar os Alpes Berneses, o Mont Blanc e o Lago Léman, mas vimos o evento Highline Extreme, onde atletas praticam o highline (o slackline nas alturas) entre imensos penhascos.

 6 – A FÁBRICA DE CHOCOLATES DA CAILLER

Pegue o trem na estação de Gruyères para Broc (Broc Fabrique) e visite a fábrica da legendária marca de chocolates suíços Cailler. A marca – fundada em 1819 – foi adquirida pela Nestlé e hoje é uma das mais desejadas da Suíça. Durante o tour guiado, os visitantes vão descobrindo os segredos do chocolate de 1898 até os dias atuais. Ao final do tour vem a parte mais legal: uma sala de degustação com diversos tipos de chocolates da Cailler. Adultos pagam 12,00 francos-suíços.

7 – LA MAISON DU GRUYÈRE

Quem vai a Gruyères precisa provar a sua mais famosa iguaria, que leva o nome da secular região. Na Maison du Gruyère, localizada na praça da estação de trem (Place de La Gare), é possível conhecer o processo de fabricação do queijo, desde a chegada do leite até a maturação de cinco a dezoito meses nas caves. A casa ainda conta com lojinha com vários tipos de Queijo de Gruyère e um restaurante. A entrada custa 7,00 francos-suíços.

 

+ Onde se hospedar em Gruyères

+ O que fazer em Friburgo (Região de Fribourg)

+ Veja todas nossa dicas sobre Genebra

+ Nosso roteiro em Zermatt

+ O que fazer em Montreux (Riviera Suíça)

+ O que fazer em Vevey (Riviera Suíça)

 

SOBRE A VIAGEM A GRUYÈRES

Veron Campos viajou a Gruyères a convite do La Gruyère Tourisme, o órgão de turismo oficial do destino, com o apoio do Hôtel de Gruyères. Do Brasil, o autor viajou até Genebra com a Condor Airlines e Lufthansa. 

Site Oficial do Turismo de Gruyères: www.la-gruyere.ch




Comente pelo Facebook

Ou comente por aqui:

Confira aqui as postagens mais lidas!

Viagem Sem Bagagem • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPress Desenvolvido por